15 de jul de 2010

O problema é a Turquia e o Brasil, não o Irã.

Breve nota na Folha de hoje traz declarações impressionantes do diplomata britânico Alastair Crooke.
O diploma explicita que as sanções contra o Irã feitas pelo conselho de segurança foram mais voltadas para o Brasil e para a Turquia, com o interesse de manter a atual ordem hegemônica americana, do que, propriamente, contra o Irã.

Da Folha: As sanções "expressaram os temores americanos diante da evaporação do respeito pela liderança dos EUA e sua preocupação com a ascensão das novas potências’. Em suma, elas ‘visaram a tratar rudemente [stiff] duas dessas novas potências, Brasil e Turquia’, que precisavam ser ‘colocadas na linha’.

O diplomata já havia escrito sobre o acordo em Maio:
http://mideast.foreignpolicy.com/posts/2010/05/26/secretary_clintons_cold_shoulder_on_the_iranian_fuel_swap_deal

Nenhum comentário: