8 de fev de 2011

Biolutas, para o Célio

Caro Célio,

Acho que existia uma alegria ontem no encontro que estava concretizando o Núcleo de Biolutas por conta de uma percepção generalizada de que há uma militância com questões próximas e que hoje quer atuar com mais força no campo institucional. Pessoas que apoiaram o governo Lula, apoiaram a eleição da Dilma e que agora desejam que essa militância não seja apenas algo que se faça de fora, mas que ela se torne também ativa, no interior do PT.

Um interior estranho, é claro. Muitos dos que estavam lá ontem trabalham na cultura e na universidade e a liberdade de pensamento é parte fundante desses trabalhos. Nesse sentido, Ivana e Beppo lembraram a Universidade Nômade e a permeabilidade com a sociedade que move o projeto. As questões ontem foram essencialmente pautadas pela necessidade de levarmos a frente uma agenda que considere as condições contemporâneas do trabalho e que aprofunde o legado do governo Lula no que tange o potencialização da vida (biolutas) de todos e sobretudo dos pobres.

Falando por mim, diria que o rumo que o Minc está tomando sinaliza para uma evidente necessidade de lutarmos internamente. Não é possível que um governo de continuidade, apoiado pelas forças mais progressistas da cultura, seja entregue aos poderes que tanto bateram no governo Lula, sobretudo por conta das ações democratizantes que você conhece tão bem. Parabéns pelo trabalho.


Ainda não há uma agenda, mas o André Barros se encarregará de fazer uma próxima convocação, espero que possas estar presente.

abraços
Cezar Migliorin

2 comentários:

Célio disse...

Obrigado pela resposta e estamos juntos, este é o campo em que mais me identifico, seria bom ter um nucleo aqui em sp, aberto não somente aos filiados ao PT. Outra coisa, postem alguns textos para leitura rápida (comprei o livro com as aulas de Foucault, mas não consigo ler agora)

abraços

célio

Live Poker disse...

Rather amusing piece