6 de set de 2007

Videogramas de uma Revolução, de Farocki e Ujica


Ainda saindo do e-mule.
O brilhante Videogramas de uma Revolução: a queda de Ceausescu (2001)- de Harun Farocki e Andrei Ujica (107').
O documentário sobre a queda de Ceausescu, em 1989, na Romenia é uma história da presença das imagens e da televisão na revolução.
A segunda imagem do filme é feita por uma câmera amadora em um plano muito aberto. Farocki comenta os acontecimentos e a imagem; sua localização, quadro, primeiro plano, cores etc. À partir dalí é a textura e a localização de cada imagem que vai tendo especial importância na revolução, na fuga de Ceausescu e dos acontecimentos que se sucedem. Ao mesmo tempo em que colocam em perspectiva a face midiática que o evento teve na época.

O procedimento de Farocki consiste narrar com as imagens para simultaneamente esmiuça-las, encontrar suas condições de possibilidade, seus riscos e clichês. Uma montagem analítica. Já conhecia filmes-ensaios de Farocki, sempre muito interessantes, mas este Videogramas de uma Revolução não abandona esta faceta ensaística ao mesmo tempo em que documenta de maneira absolutamente didática a queda do ditador Ceausescu.

Um raro momento do documentário este filme de Farocki. Poucas vezes vi a história das imagens de um acontecimento estarem em lugar tão central como neste filme.

A primeira imagem é impressionante. Uma mulher sendo levada para um cama. Foi ferida pelos homens de Ceaucescu.
-O que aconteceu? Alguém parece perguntar.
- Está gravando som e imagem? pergunta a mulher.
Sofrendo ela inicia uma fala compulsiva sobre a liberdade, sobre o que está acontecendo, sobre a revolução. Não há corte.


Na Documenta de Kassel Farouki apresentava uma instalação - "Deep Play" - com 12 monitores acompanhando a final da copa do mundo da Alemanha, cada monitor com um quadro, incluindo as estatísticas. A questão da imagem que constrói e documenta um evento continua, mas na documenta com muito menos força. O acúmulo ali ficava longe da escritura que era também uma descoberta, neste filme na Romênia.

Ensaio sobre Farocki por Christa Blümlinger, alemã e professora da Universidade Sorbonne Nouvelle, Paris. Em inglês e francês.

Nenhum comentário: