25 de nov de 2017

Viva Darcy!

Nos momentos em que as tensões urbanas crescem, muitos discursos encontram na educação a possibilidade de salvação.
Recentemente a ministra Carmen Lucia citava Darcy Ribeiro:
“Darcy Ribeiro fez em 1982 uma conferência dizendo que, se os governadores não construíssem escolas, em 20 anos faltaria dinheiro para construir presídios”
Sinto Darcy, mas essa lógica que coloca a falta de escola como origem da violência não só é equivocada, como coloca a educação em um lugar que não deveria ser o dela.
Quem está nas prisões são os pobres. E, a baixa escolarização se deve à condição social, fundamentalmente.
Mantendo a desigualdade, continuamos a não ter dinheiro para presídios.
Mas, mais do que isso: a educação formal existe para manter as ruas seguras? Que triste fim. Vou colocar meu filho na escola, de outra maneira ele acabará no presidio, é assim que a elite pensa a educação?
Essa formulação é apenas outra maneira de ver a escola como domesticação e organização da tranquilidade de alguns.
A escola é necessária por muitos motivos, mas não são propriamente os sem-escolas que organizam o mundo das violências ou que ordenam a cidade como um garimpo: o máximo de ganho e extração, com o mínimo de tempo.
Não conhecemos garimpos onde reina a paz.
A associação entre falta de escolaridade e violência esquece a história do Séc XX onde povos com boa educação formal não deixaram de fabricar máquinas criminosas.
Talvez boas escolas para todos produzam uma outra violência, aquela que ameaça justamente as elites que desejam a escola como domesticação.
Viva Darcy!

Nenhum comentário: