26 de jun de 2007

Documenta 12/ Ai Weiwei

O trabalho do chinês Ai Weiwei talvez seja dos mais marcantes na Documenta, por diversas razões. Weiwei transita entre a arte conceitual e um postura mais formalista que está presente na grande escultura que montou em Kassel.
O projeto que marcou a Documenta foi "Fairytale" (Conto de Fadas) em que Weiwei trouxe para Kassel 1001 chineses para passarem um mês na cidade, a mais cara obra feita na Documenta esse ano, 3.1 milhões de euros. Eles não tem nenhuma tarefa especial, apenas estar na cidade. Nos museus e galerias em que a Documenta acontece, Weiwei e os curadores - Roger Buergel e Ruth Noack - espalharam 1001 cadeiras da dinastia Quing (1644 -1911) pertencentes a uma coleção pessoal de Weiwei. As cadeiras podem ser utilizadas pelos visitantes e são simples e belíssimas, todas aparentemente diferentes entre si.

O outro trabalho de Weiwei, uma grande escultura feitas de portas e janelas da dinastia Ming e Quing, vindas de casas destruídas por projetos imobiliários recentes, veio abaixo durante uma tempestade, logo depois da abertura da exposição.

Nenhum comentário: