24 de jun de 2007

Documenta de Kassel



Este é apenas um primeiro post sobre a Documenta. A primeira impressão desta mega-exposição é de um grande estranhamento. Tento na verdade manter o estranhamento para não ser levado a fazer críticas fáceis e severas, como fazem muitas das pessoas que encontrei por aqui. Duas coisas mobilizam este estranhamento, a primeira é o fato de a Documenta ser composta por muitas obras antigas, alguma históricas, outras apenas já vistas em outros lugares, a segunda esta na montagem mesmo e principalmente pela opção de usar cores na paredes. Na Neue Galerie, por exemplo, as salas são verdes e azuis, na Museu Fridericianum vemos até projeções de vídeo sobre parede verde.

Matéria do Guardian destróia Documenta 12.

O comentário de várias pessoas que encontrei aqui é de fracasso, mas tento não me contaminar e confesso nutrir até uma simpatia pela Documenta, sobretudo por conta de obras que não funcionaram. A Friedrichsplatz deveria estar coberta de papolas vermelhas, um trabalho da artista Sanja Ivekovic. Infelizmente a natureza se impôs e apenas duas das milhares de flores esperadas vingaram. Uma mega escultura de Ai Weiwei, que trouxe 1001 chineses para Kassel, foi derrubada pelo vento, formando uma nova bela escultura, existem ainda outros casos como estes.


O Brasil e super presente esse ano aqui, mas dentre vários trabalhos é preciso destacar o trabalho de Ricardo Basbaum, que comentarei mas longamente em breve.

todos os posts sobre a Documenta

Um comentário:

Fernanda Bruno disse...

Ei Cezar,
Enfim consegui chegar aqui ;-) Está bem bacana o blog. Aguardo mais noticias da Documenta...
beijos e boa viagem aí,
Fernanda