24 de jun de 2015

Inglaterra - eleições e direitos trabalhistas


Cameron tem mais 5 anos pela frente. O atual governo conservador ganhou ontem as eleições do reino unido.
Foi durante o governo de Cameron que a Inglaterra estabeleceu os contratos de trabalho a zero horas.
Esse tipo de contrato é resultado da fantástica e escandalosa competição entre os países que o capitalismo europeu conseguiu inventar.
O contrato de zero horas é o seguinte. A pessoa é contratada por uma empresa, mas semanalmente a empresa diz quando ele deve trabalhar. O trabalhador é pago exatamente pelo que trabalha – sem férias ou direito a ficar doente. Se a empresa não precisar dele naquela semana, ele tem zero horas de trabalho e de salário. Mais de 700 mil pessoas trabalham na Inglaterra com este tipo de contrato.
O governo recentemente eleito se regozija em ter baixado as taxas de desemprego, graças a esse tipo de iniciativa.
A invenção do capitalismo europeu é união – europeia – para intensificar a competição.
Veja que interessante: a Grécia e a Espanha tem altíssimas taxas de desemprego, enquanto na Inglaterra o desemprego é baixo. Entretanto, por conta da União Europeia, gregos, espanhóis e ingleses podem trabalhar onde quiserem. Ou seja, o trabalhador é livre para mudar de país, mas a taxa de desemprego é local, assim como as regras trabalhistas.
Como os país resolvem isso? Como manter os empregos? Tendo leis mais flexíveis, menos encargos, contratos de zero-horas, etc.
O desemprego da Inglaterra está na Espanha, mas ele conta apenas para a Espanha.
Com a vitória dos Conservatives no Reino Unido a competição entre os países tende apenas a aumentar.
Tragicamente, como nos anos 80, o Uk vai dando o exemplo de como ampliar a desigualdade e estraçalhar os direitos dos trabalhadores.


8.5.15

Nenhum comentário: